quinta-feira, 29 de julho de 2010

Teoria dos gracelons como faixa [camada] graceli.


Sobre os gracelons na forma de faixa graceli.
Fenômenos e sistemas de fenômenos que formam a faixa graceli [gracelons].

Não é o campo, mas o sistema de energia que forma um envoltório em torno do astro. E sua intensidade e alcance dependem da produção de energia do astro. Logo é decrescente em intensidade.

1-Espaço energético do envoltório [camada de energia, radiação e campos].

2-Campo [principalmente o magnetismo] do espaço energético.
Observação. O campo gravitacional é insignificante para a produção das dinâmicas e das órbitas, pois é muito fraco.

3-A ação do magnetismo se encontra na produção dos anéis em carrear os gases para a faixa do equador. E que servirá para produzir novos secundários.

Também tem função fundamental nas órbitas, nas dinâmicas, e no alinhamento dos sistemas de planetas, satélites e estrelas, produzindo o formato em disco. E a inclinação das órbitas. E o movimento de lateralidade e o movimento de inclinacidade. E é o que produz a eclíptica.

4-Radiação do espaço energético. Que é o que produz o movimento de afastamento dos secundários [ movimento de recessão]. E é o que determina a distancia crescente entre os astros.

5-Pressão do espaço energético, e pressão atmosférica. Ao contrário do que se pensa o espaço tem densidade. É o que produz a esfericidade dos astros. Do contrario eles seriam achatados e irregulares.


Assim, temos a

1-Energeticidade dos energeticuns na produção de energia e elementos químicos. [ ver teoria dos energeticuns na internet].

2-Energia dentro dos astros.

3-Envoltório [camada] de energia nos astros, produzida pela energia do astro [faixa graceli e gracelons].

Teoria dos gracelons.

1- Massa cósmica que se encontra no centro dos aglomerados e galáxias. Com imensa pulsação r processamento de energia. E expelição de energia e radiação. Magnetismo e pressão sobre o espaço denso. Não é esférico e muda de forma constantemente. Plasma.


2- Gracelons atmosféricos.
3- Abrange a camada [faixa] graceli de energia, radiação e campos.
4- Meio físico de pressão atmosférica. A solar vai até Marte, ou seja, tem aproximadamente 1,5 de alcance de unidade astronômica.

Assim, tem a camada dos satélites, planetários, estelar, galáctico, de aglomerados e a cósmica.


Onde ficam os fenômenos da faixa graceli.

Onde são produzidos os fenômenos de acompanhamento, seguimento do sentido da translação do secundário, alinhamento, elipsidade, formato em isco, esfericidade dos astros, anéis, dinâmicas e órbitas.



Tem alcance limitado e de intensidade e densidade decrescente.

É um meio físico de maior intensidade e densidade, ou seja, o astro não tem o seu limite até a sua extremidade, mas vai além da sua esfericidade.

Ou seja, o limite da terra vai até a sua atmosfera, e além dela.

Há também o gracelon do sistema atômico.

Ou seja, o astro se encontra num sistema, e este sistema em outro, assim até os aglomerados.

Por isto que acontece o acompanhamento do movimento e órbita dos sistemas espaço afora. Por isto que mesmo dependendo da energia o sistema de satélites acompanha o sistema de planetas e estes de estrelas, estes de galáxias, assim infinitamente.

E quando saem da camada gracelon de energia o astro passa a desenvolver movimentos livres, aleatórios, retrógrados, irregulares, com poucas dinâmicas e decrescentes.

Do contrário não haveria o acompanhamento, o seguimento do sentido do movimento e o alinhamento [eclíptica].

Assim, temos dentro da camada graceli o fenômeno da eclipticidade [ produção do alinhamento].

E fora da camada graceli o fenômeno da deseclipticidade. Desacompanhamento. Ficando os astros soltos, livres e com movimentos aleatórios e alguns retrógrados.


Teoria dos sistemas gracelons e suas interações.

A ação entre os gracelons é que faz com os astros e sistemas de astros acompanham os outros sistemas espaço afora.
Ou seja, um sistema se forma dentro do outro, a através da camada graceli possa ocorre os fenômenos citados acima.

Ao sair da camada graceli há ainda por algum tempo o acompanhamento, mas quando fica muito distante da camada graceli, passa a ocorrer o desacompanhamento, o desseguimento do sentido do movimento, a deseclipticidade.


Há cometas e asteróides que entram da camada graceli e saem, mas alguns sofrem alterações em suas órbitas, nas suas caldas e comas, e alguns se desintegram.


Assim, mercúrio, Vênus, terra, e marte têm as suas próprias camadas e se encontram dentro da camada solar [de maior densidade].

E após marte a camada solar já não tem mais tanta intensidade e alcance.

Júpiter está fora da camada graceli.

Nesta concepção o tamanho e alcance do sol são de 1,5 u.a. e vai até marte.


FÓRMULA PARA CAMADA GRACELI.

Diâmetro do astro + a sua energia = alcance e intensidade da camada graceli de energia do astro.

Assim, o que produz a camada é a produção de energia do astro.

Logo, é variável e decrescente.com a desintegração de energia do astro. E é proporcional ao astro [sua produção de energia], ou seja de alcance finito e limitado.

E com intensidade e densidade maior na faixa da eclíptica, por causa do magnetismo.

Não é um campo, mas é um meio de energia.

Autor – Ancelmo Luiz graceli.

Brasileiro, professor, pesquisador teórico, graduado em filosofia.

Rosa da penha, Cariacica, Espírito Santo, Brasil.

ancelmoluizgraceli@hotmail.com

Colaborador. Márcio Piter Rangel.

Trabalho registrado na Biblioteca Nacional – Brasil - Direitos Autorais.

Agradeço a algumas faculdades que estão incluindo os meus trabalhos em seus currículos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário